segunda-feira, 31 de agosto de 2009

A esmo

Descubro, olhando pela janela,
que viver é bom.
Como é bom o carinho do filho,
o olhar do amante, o beijo desejado,
a chuva que molha o rosto em dia de calor,
sol batendo na pele, a água correndo pelas mãos.
Como é bom amar o que se faz,
conhecer pessoas indiscriminadamente,
ouvir a canção perdida,
dar a gargalhada que explode a alegria,
servir, cuidar, amar e amar incondicionalmente.
Saber de tudo um pouco,
esquecer a mágoa e fugir da tristeza,
ouvir o silêncio das palavras
e deixar o coração guiar o caminho.

Olho pela janela e descubro que viver é bom.
Mas como dói.

2 comentários:

Karina disse...

Lenise, que riqueza de versos...
Através deles, matei um pouquinho da saudade.
Com admiração, Karina Detogne.

No canto do olhar disse...

Saudades também. Que bom que você veio...Volte sempre e vamos compartilhando emoções, afinal escrever é um exercício de emoção e de coragem.